sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Conselho de psicologia inicia um processo de cassação de Marisa Lobo perseguição religiosa

Conselho de psicologia da um prazo de 15 dias para que Marisa Lobo tire das redes sociais toda mídia que a vincule a sua fé Cristã estando ameaçada de cassação..

No último dia 09 de fevereiro às 11 horas da manhã a psicóloga Marisa Lobo, recebeu uma convocação para se apresentar ao conselho regional de psicologia, motivo seriam várias denúncias recebidas pelas redes sociais sobre seu exercício profissional.
Ao chegar ao conselho, Marisa Lobo, tirou uma foto lendo a bíblia, dizendo estar lendo seu manual de ética enquanto aguardava. (foto postada nas redes sociais, que já virou motivo de perseguição).

Ao entrar no conselho foi recebida por duas fiscais, que a colocaram a par das denúncias, todas feitas por ativistas gays, usuários de maconhas e ateu, que estavam se sentindo incomodados com a postura da mesma em se declarar psicóloga e cristã, por assumir em suas redes sociais que é Cristã, e pelos seus questionamentos de conteúdo do kit gay.

As fiscais leram todo código de ética, reforçando que ela é muito conhecida e que sua posição fere o conselho de psicologia e estão induzindo pessoas a posições contrárias ao homossexualismo e a convicções religiosas.


Relata Marisa Lobo
"Sobre a mesa colocaram Xerox de recados de twitter, o que me deixou indignada, como poderia estar sendo chamada para discutir ética, por denúncias de ateus, militantes gays, canabistas sem base legal alguma e que claramente me perseguem pelas minhas posições de direito de professar minha fé. Me senti perseguida, ouvi coisas absurdas, uma pressão psicológica que se eu não tivesse sanidade mental, teria me acovardado e desistido de minha fé."
"Tentaram o tempo todo me vincular a homofobia, deixei claro que processaria todos eles, pois não sou homofóbica, nunca agredi ninguém apenas tinho minhas opiniões, que foram claramente negadas a mim pelas fiscais, me senti tolhida em meu direito de liberdade de expressão."

Frase que foram ditas pelas fiscais que me indignaram
  • "Você não tem o direito, não pode se dizer Cristã e psicóloga ao mesmo tempo é ferir o código de ética."
  • "Você não pode dizer que Jesus cura, sendo psicóloga,"
  • "Você não pode se dizer psicóloga e cristã, guarde sua fé pra você, não tem direito de externar para mídia."
  • "Você não pode dar declarações que induza pessoas a acreditar que seu Deus cura, como faz em seus sites e blogs."
  • "você não tem direito de dizer em público que ama gay, mas quer ter um filho hetero."
"Me questionaram  que eu disse, em uma palestra que não acredito em cura da dependência química sem Deus."

"Quando mandei que me dessem um exemplo de cura da dependência química só pela ajuda psicológica, ficaram em silêncio, eu disse que conheço centenas de casos, falei das estatísticas das comunidades e serviços que trabalham a fé, e dos meus 15 anos de trabalho na área vendo os milagres da transformação, apenas por dar essa oportunidade as mães e usuários de saberem que existe um Deus que pode tirá-los desse lixo que a psicologia não tem conseguido. Claro que a situação ficou mais crítica."
"Entendi que, a pessoa pode morrer, na sua frente, mas você como psicólogo não pode em nenhum momento, falar de Deus para pessoa."

"Contei o exemplo de uma mulher que entrou em meu consultório e me disse:"
"Dê-me uma razão para viver, ou vou sair daqui e vou desistir da minha vida!!!"
"Eu dei, Deus, ela está viva e bem até hoje."

"E perguntei o que deveria ter feito, já que ela tratava com psicólogos psiquiatras, tinha luto patológico, era depressiva suicida e não tinha vontade de viver, deveria deixá-la morrer então? A dar a ela a chance de acreditar que existe Deus, eternidade. Não souberam responder, enrolaram, e mudaram de assunto."

"Quando questionei que estavam me pedindo para negar Deus se quiser continuar exercendo minha profissão, elas se olhavam, e diziam: Não é isso, você pode ter sua fé mas não pode externar, guarde pra você, pois está induzindo pessoas a acreditarem em você pela sua influência."

 "Deixei claro que não uso a religião para tratar meus pacientes, não tenho nenhuma reclamação em 15 anos no conselho, eles sabem disso. Então não estava entendendo, porque tanto código de ética. Se com meus pacientes nunca cometi um erro."
 
"Sou uma cidadã livre, a constituição me dá esse direito de professar minha fé, fora do meu consultório, elas sempre debatiam dizendo" "como psicóloga não."

"Quando disse que então seria cassada, pois não negaria minha Fé, uma delas que disse:"
"Você não precisa ser cassada pode abandonar a psicologia"

"Disse que não abandonaria minha profissão, que não estou sozinha, que paguei caro pela minha formação, gastei anos da minha vida, e que não vou abandonar minha profissão, e que pago caro o conselho também elas me responderam:" "então deixe de falar de seu Deus de sua fé."

"Eu enfrentei e disse vamos para o enfrentamento e cassação."


"Conforme texto abaixo  tenho 15 dias tirar das redes sociais tudo que me ligue a religião, VEJA A MINHA RESPOSTA ABAIXO.

NÃO NEGO MINHA FÉ. TENHO ORGULHO DE SER CRISTÃ.É MINHA IDENTIDADE" TENHO QUE SER RESPEITADA POR ISSO.LIBERDADE DE EXPRESSÃO.

 

139 comentários:

  1. Sou psicóloga tbem e dou meu apoio total a vc. Procure seus direitos e não desanime em momento algum, a religião não é impecilho para a cura, bem orientada, é motivo de ajuda com certeza!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou Psicólogo e o que está em jogo aqui é a liberdade individual, inclusive a de religião. A Psicologia é pautada em princípios éticos e científicos. Assim enquanto tal é universal, ou seja, transcende culturas e valores de grupos ou povos. Concordo que a religião bem orientada é motivo de "cura" sim, mas é o indivíduo que tem que trazê-la. A postura do psicólogo deve ser sempre neutra, visando justamente o respeito a subjetividade do paciente, buscando que esse alcance a autonomia. A psicóloga relatou que quando uma paciente a pediu um motivo pra viver, ela disse DEUS(referindo-se ao cristianismo). Se isso não é tendencioso, então por que não disse busque Alá, Buda ou outros ? Ela poderia encontrar motivos nestes também. Uma pessoa busca um psicólogo para encontrar a si mesmo. Não a Jesus, ou qualquer entidade divina, para isso existem os representantes ou sacerdotes religiosos. Fé, religiosidade ou a descrença é um caminho que deve ser traçado e vivido por cada um. O Psicólogo é um representante da ciência, do humanismo e do universalismo não de religião x,y ou z.

      Excluir
  2. Conselho "vendido" ao movimento LGBTUVWXYZ. Seja firme, Marisa. Essa conduta de tal Conselho é contrária à Constituição Federal.

    Em Cristo,

    Ciro Sanches Zibordi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Art. 2º – Ao psicólogo é vedado:
      b)Induzir a convicções políticas, filosóficas, morais, ideológicas, religiosas, de orientação sexual ou a qualquer tipo de preconceito, quando do exercício de suas funções profissionais.

      Por favor, o Sr. poderia dizer qual artigo da CF está sendo ferido? Porque se for em relação ao artigo 5º, não sei se o Sr. entendeu, mas a questão aqui não é a Marisa cidadã que tem direito a liberdade religiosa, e sim a Marisa Psicóloga, representante da Psicologia. Naquele programa ela estava ali como especialista e conhecedora da ciência psicologia, como a profissional Marisa. As afirmações dela são claras e aviltantes. Parabéns ao conselho de ética pela manifestação !!!

      Excluir
    2. Concordo plenamente com você; as pessoas têm que saber distinguirem religião de ciência, Freud de Deus, Bíblia de Constituição Federal e Código de Ética Profissional. Creio em Deus, em Cristo, na sua vinda, mas misturá-lo à profissão é ultrapassar os limites do bom senso.

      Excluir
  3. Também sou Psicólogo e Cristão. Apoio você. Também fui prejudicado pelo CRP, em caso envolvendo homossexualismo e anti-cristianismo. Este órgão é apenas uma fachada, é uma ONG homossexual internacional disfarçada.

    ResponderExcluir
  4. Não te tomaram a carteira ainda não? Tá demorando...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Acabei de ver seu perfil. É LÈSBICA. Só podia ser.
      Por isso esse ódio todo. Sai pra lá sargentão.

      Excluir
    3. O mesmo direito que você tem de se homossexual, Blenda, É o que me garante que posso ter orgulho heterossexual, cristão, conservador. Eu não me curvo a pressão homo. Calar a voz dos crentes não trará aos homossexuais paz de espírito. Paz de espírito só em Jesus e Ele nos orienta a ser heteros. Que o Senhor possa transformar os corações dos que querem cauterizar suas consciências pensando assim se livrar da culpa.

      Psicologia é profissão. Se não posso ser cristão e psicólogo a psicologia passa a ser religião. Deus me livre de uma religião sem Ele. Nunca li regras que impeçam o psicólogo de ser cristão. Não temos um conselho de psicologia (se ele toma atitudes assim), temos um braço de ditadura homo cheio de recalcados mal resolvidos em suas posturas. Tão mal resolvidos que não podem dialogar, se impoem pela força.
      É inquerente tal atitude no meio de uma classe que devia ser capaz de dialogar.

      Hoje em dia, conselhos e sindicatos, não são representativos de uma classe. São instrumentos políticos de partidos e grupos minoritários que querem se impor pela força.

      Excluir
    4. Caro, Juberto, mui respeitosamente, gostaria de pedir para que vc reconsiderasse seu discurso, pois vc distorce completamente as coisas. Pra começo de conversa: O poder está nas mãos dos cristãos, conservadores e "heterossexuais". Vcs são maioria. São vcs q tem se colocado através da força, com violência psicológica, ameaças e retaliações, ou não é assim que se mantém pessoas presas a dogmas religiosos e culturais como os que vc defende ? A perspectiva de não ser digno do paraíso prometido ou de queimar no inferno, de cair na desgraça divina ? Mas, só respondendo a sua indagação sobre o conselho de psicologia: Pode-se sim ser psicólogo e cristão, psicólogo e muçulmano, psicólogo e budista, ateu . . . O que não pode é deixar que suas crenças e suposições filosóficas se sobreponham a individualidade do outro, no caso, o paciente, que chega fragilizado e é extremamente sugestionável ao especialista ao qual ele se dirigiu para buscar ajuda, o psicólogo. A melhor maneira de se resolver qualquer impasse é sem dúvida através do diálogo. Com todo respeito, afirmar que os grupos ditos minoria são incapazes de dialogar e querem se impor pela força é muito, mas muito incoerente. Vc defende o diálogo mas se diz conservador. São vcs conservadores, cristãos, "heterossexuais" que n abrem mão do seu ponto de vista, que não os coloca em pauta, n percebem q existem contextos e realidades a serem considerados, preferem seguir sem questionar preceitos que pregam intolerância, preceitos formados na idade do bronze onde além de toda ignorância científica e sobre a gama de diversidades e valores culturais, pessoas matavam outras cruelmente a pedradas por crimes vis. Por favor, caro Juberto, tente ser mais coerente da próxima vez. Muita Paz !

      Excluir
  5. Deus é contigo, irmã!!!! Estamos orando por vc e Deus já se levantou em seu favor!

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não concordo com vc,pois é equivocado,se voce tem algo pra oferecer a pessoa que vai pedir sua ajuda vc omite?,oras ninguem á obrigado a aceitar, é liberdade de expressão sim senhor,agora o fato de não aceitar a conduta de uma pessoa não é homofobia ou segregação etc.
      Abraços!

      Excluir
    2. Fátima, ninguém está dizendo que ela não pode dar outras opções de cura, neste caso cura por Deus. O problema é que como psicóloga ela não pode fazer isso, porque o profissional desta área, assim como das outras ciências, tem que ser imparcial, não colocando seu ponto de vista. Acredito na cura pela fé, mas cura pela fá deve ser feito na igreja por padres e pastores, não por psicólogos.

      Excluir
    3. Então cassem o registro de todo psicólogo que induz uma pessoa com tendências homossexuais a assumir esse estilo de vida, pois ele está influenciando a tal pessoa com seu ponto de vista liberal pós-moderno.

      Excluir
    4. O problema, Alex, é que chamar algo de "homofobia" ou "preconceito" não diz absolutamente nada. Pelo que li nos blogs da psicóloga não há nada além do exercício legítimo e equilibrado da liberdade de expressão.

      Excluir
  7. Independente do que você posta nas suas redes sociais ... hoje todas as pessoas têm suas opiniões formadas!
    Se o que é postado por algum profissional se tornasse "lei" não haveria mais a necessidade da Constituição Federal. Concordam?

    Eu também sou cristã, sei que tudo o que o pessoal do CRP pretende é expor você a merce de quem não tem Cristo como salvador...mas diferente disso, eles (CRP) estão ajudando nós cristãos a cumprimos nosso mandamento: "PREGAR O EVANGELHO A TODA CRIATURA!" Marcos 16:15

    Continue firme nas promessas de DEUS. Você esta sendo fiel a Ele ... Que vc possa dizer como Paulo: "Combati o bom combate, acabei a carreira e guardei a fé." II Timóteo 4:7

    Estarei orando por você!!!

    Em Cristo ... Tainá

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu Deus. Ninguém está dizendo que ela não pode pregar. Pelo contrário, é o dever dos cristão fazer isso. O que ela não pode é fazer isso como psicóloga. Psicologia é uma ciência e não envolve crenças religiosas. O cientista tem que ser imparcial, não deixando suas opiniões e crenças afetarem seu trabalho.

      Excluir
    2. É evidente que ela pode fazer isso como psicóloga pois ser cristã faz parte de sua identidade. Ela pode perfeitamente ter uma leitura cristã dos princípios que guiam a psicologia. O que ela não pode fazer é, num tratamento psicológico, usar elementos que pertencem a outras áreas

      Excluir
    3. obrigada thiago , Deus existe está conosco. amém

      Excluir
    4. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  8. Finalmente o Conselho de Psicologia tomou uma atitude, Deus ajude pra que tirem esta mulher da posição de psicóloga, uma área tão respeitável e necessária precisa ser constantemente podada para evitar condutas como a desta mulher.
    Seguir as regras para a organização da profissão faz parte do comportamento cristão, ser arrogante o suficiente pra tentar montas as suas próprias é farisaísmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Omitir a sua fé é farisaísmo sinônimo de hipocrisia!!se é que vc a tem(fé).

      Excluir
    2. Antes de mais nada, sou ateu, mas o que você esta dizendo, é que se os deputados aprovarem uma lei permitindo a escravidão e o estrupo, que isto vai ser certo.

      Ela tem o direito de expressar sua religiosidade sem misturar isto com o seu trabalho.

      Eu sou libertário e não tem nada pior, que um bando de burocratas querendo obrigar o povo a trabalhar como ele diz que é certo, não há em lugar algum do texto, algo dizendo que ela esta tentando "converter os pacientes" e mesmo que esteja, não gosta? procure outro psicólogo. Bem simples.

      Mais uma prova de que este socialismo em regulamentar profições não funciona. Liberalismo econômico JÁ!!!

      Excluir
  9. Deve ser ótimo para o paciente depressivo ouvir que vai para o inferno por não ser cristão. Um desserviço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não vi isso em lugar algum na denúncia. Para quê inventar?

      Excluir
  10. Se te cassarem, você ainda pode tentar ser freira. Acho até que combina mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sou evangélica e psicóloga e pastora , sou cristã Graças a Deus. fora do meu consultório sou o que bem entender , gay pode ser gay, ateu pode ser ateu e eu posso ser Cristã, entendeu?????

      Excluir
  11. Tem mesmo que perder a licença. Psicólogos, Biólogos e outros cientistas em geral, tem que ter opiniões imparciais. Uma pessoa que procura um psicólogo para tratamento está atrás de um profissional que aprende na faculdade técnicas para ajudá-lo, não um religioso. Religião se procura na igreja. Um psicólogo deve fazer com que a pessoa se encontre e ache uma forma de viver melhor consigo mesmo, e não impor mudança de comportamento com base em religião ou crenças. A religião não é a base acadêmica da psicologia. A base é o estudo do comportamento humano. Sou cristão, católico romano, mas separo as coisas. E essa psicóloga deveria fazer o mesmo. Quer curar as pessoas pela religião? Faça-o na igreja. Eu acredito que Deus pode curar. Essa psicóloga tem todo o direito de ter suas opiniões, mas não pode usar seu ponto de vista no tratamento dos pacientes. Ela disse: "...apenas por dar essa oportunidade as mães e usuários de saberem que existe um Deus que pode tirá-los desse lixo que a psicologia não tem conseguido." Se ela mesma não acredita que a psicologia possa curar as pessoas, então ela deve largar a profissão e virar pastora, missionária ou algo do tipo, mas não fazer curas pela fé e colocar a psicologia no meio disso. PSICOLOGIA NÃO TEM NADA A VER COM RELIGIÃO. Eu leciono matemática e ensino o que a matemática manda. Você não vai ver um professor de biologia cristão dizer a um aluno que a Terra foi criada em 7 dias por Deus e que o homem foi feito a partir de um boneco de barro que teve um sopro divino de vida. Ele vai ensinar o que a biologia manda, mesmo que ele acredite o contrário. Tenho colégas que largaram a faculdade e escolheram outra profissão por não conseguirem eliminar seus conflitos entre ciência e religião. Ela deveria fazer o mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse tipo de separação entre o real e o "científico" deveria ter ficado no século XIX. Pelo que está dito na tal denúncia Marisa não colocou a religião no lugar da psicologia, mas, sendo psicóloga, temperou essa sua característica com uma outra que também faz parte de seu ser (e não poderia ser diferente).

      Excluir
    2. se for assim, qualquer pessoa qdo começa a exercer sua profissão - independente da área - perde o direito de expressão? Escolha? Então ela passa a ser uma pessoa que acredita em DEUS - ou não, mais que não pode viver segundo sua religião/crença?!?!?!

      ISSO É RIDICULO! PRINCIPALMENTE PELO TEMPO EM QUE VIVEMO QUE SE DIZ TANTO SOBRE A UNIÃO DAS RELIGIÕES, PROFISSÕES, DA LIBERDADE!!!!

      Excluir
    3. Então se você se forma Biólogo vai ensinar Gênesis ao invés de Evolução? Você sera exonerado do cargo de professor... Se você é Cristão e sabe que determinada profissão ou carreira é imcompatível com suas crenças, então é melhor nem seguí-la. E se fosse permitido pelo conselho "temperar" a psicologia com religião, ela não estaria tendo problemas... Esse tipo de profissão geralmente tem um "juramento a se fazer e cumprir" assim como médicos o fazem. Talvez ela esteja ferindo algo desse tipo ou algum "princípio" da psicologia. O conselho existe para manter a ordem e a imagem da profissão, assim como sua credibilidade. E agindo dessa forma ela põe em xeque a eficácia das técnicas da profissão. Isso ela mesmo diz na reportágem: "...apenas por dar essa oportunidade as mães e usuários de saberem que existe um Deus que pode tirá-los desse lixo que a psicologia não tem conseguido."

      Já disse, não duvido da cura pelo poder de Deus. Deus está presente em tudo e em todos e cura e proteje. Eu acredito em Deus. Ela pode ajudar alguém a se curar pelo poder de Deus? Pode e deve. O que ela não pode é fazer uma associação disso com a psicologia. É DISSO QUE O CONSELHO ESTÁ RECLAMANDO. E nesse sentido eles estão certos. Vocês estão falando como se eles estivessem fazendo ela renegar a Deus, e não é isso. Querem que ela desvincule Deus da imagem da psicologia. Matar é pecado, mas um soldado Cristão mata nas guerras se for necessário. Ela pode agir como o conselho quer e curar pela fé, contanto que não misture as duas coisas. Mas uma vez uso o exemplo do professor de biologia. Nas escolas ele ensina EVOLUÇÃO. Na escola dominical e catequeses ele ensina GÊNESIS.

      Excluir
    4. Ridículo. O que impede a doutrina cristã de ser usada na psicologia? Você cria uma falsa dicotomia aqui. Não existe nada no Cristianismo que esteja em oposição a psicologia. Por sinal, a psicologia moderna só se desenvolveu devido ao cristianismo. Quanto a ciência, toda ela é permeada pela visão cristã do mundo, ou seja, de que há ordem no universo. Então pelo seu raciocínio, toda a contribuição do cristianismo à ciência deveria ser negada, todos os cientistas históricos Cristãos deveriam ter seus trabalhos ignorados. Enquanto este CFP tenta enxotar todos so cristão da área de psicologia, abre os braços para todos so maníacos e deturpados sexuais. Abraça com toda a força as idéias de um homem asqueroso como Kinsey, aceita integralmente os pedofilos. Ou seja, chamam bem ao mal. Vejo hoje que os Verdadeiros psicólogos são os cristãos, que ainda possuem algum senso moral, e não se deixam levar por este relativismo tosco que tem tomado a sociedade de assalto.

      O resumo do seu discurso Ghalladryel, é o de que as opiniões religiosas são inferiores, mas não apresenta uma argumento para sustentar isto.

      Excluir
  12. As principais organizações mundiais de saúde, incluindo muitas de psicologia, não mais consideram a homossexualidade uma doença, distúrbio ou perversão. Desde 1973 a homossexualidade deixou de ser classificada como tal pela Associação Americana de Psiquiatria. Em 1975 a Associação Americana de Psicologia adotou o mesmo procedimento, deixando de considerar a homossexualidade uma doença.[20] No Brasil, em 1985, o Conselho Federal de Psicologia deixou de considerar a homossexualidade um desvio sexual e, em 1999, estabeleceu regras para a atuação dos psicólogos em relação às questões de orientação sexual, declarando que "a homossexualidade não constitui doença, nem distúrbio e nem perversão" e que os psicólogos não colaborarão com eventos e serviços que proponham tratamento e/ou cura da homossexualidade.[21] No dia 17 de maio de 1990, a Assembleia-geral da Organização Mundial de Saúde (sigla OMS) retirou a homossexualidade da sua lista de doenças mentais, a Classificação Internacional de Doenças (sigla CID).[21][20] Por fim, em 1991, a Anistia Internacional passou a considerar a discriminação contra homossexuais uma violação aos direitos humanos.[21]

    Por isso que Psicologia não deveria ser considerado profissão, como astrologia não é ciência!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Puts, falou tudo... E ainda usou bons argumentos.

      Excluir
    2. Não falou nada.
      Mesmo que organizações declarem o homossexualismo como "normal" por pura pressão política, nada impede que ele seja novamente considerado como é, anormal.
      Quer dizer que se a OMS declarar que a pedofilia é normal, vcs vão aceitar de bom grado?
      Pois bem, se preparem, pois a pedofilia já está sendo considerada como uma outra orientação sexual qualquer, e já existem movimentos políticos para tentar legalizar a prática.

      Excluir
  13. Assim como um professor não pode ensinar sua religião aos seus alunos na escola em que trabalha um profissional de psicologia não pode prometer "curas" através de fé, isso é charlatanismo! O que essa psicóloga aprendeu na faculdade???? A biblia?????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi isso que eu quis dizer. Quando se aprende uma profissão ou ciência, e colocamos a mesma em prática, temos que ser imparciais.

      Excluir
    2. Mas sabemos que isto não acontece não é mesmo? Vocês marxistas de quintal, vivem tentando influenciar os alunos nas suas ideias toscas. É costume que professores deixem de ensinar para doutrinar seus alunos no socialismo e ateísmo. Um exemplo claro disto é na biologia, onde os alunos são doutrinados no naturalismo e ateísmo. E agora a gota d'água, que é o destas entidades de belial quererem doutrinar as nossas crianças no homossexualISMO. Vocês são um bando de hipócritas, não podemos expor nossa cosmo-visão, mas todo mundo pode? Vocês querem é destruir a sociedade, com suas filosofias de fundo de quintal.

      Excluir
    3. Pai na Fé, como você consegue ser tão ignorante? Que proeza.

      Excluir
  14. quem disse que que faço isso, deveria se informar antes de dar sua opinião, nunca fiz isso no meu consultório, atendo todo tipo de religião. a questão sou eu como cidadã, tenho direito de dizer que sou cristã e acredito em Deus, e sou psicóloga. tenho religião e este direito me está sendo negado. marisa lobo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A reportagem acima diz:

      (1)""Quando mandei que me dessem um exemplo de cura da dependência química só pela ajuda psicológica, ficaram em silêncio, eu disse que conheço centenas de casos, falei das estatísticas das comunidades e serviços que trabalham a fé, e dos meus 15 anos de trabalho na área vendo os milagres da transformação, apenas por dar essa oportunidade as mães e usuários de saberem que existe um Deus que pode tirá-los desse lixo que a psicologia não tem conseguido. Claro que a situação ficou mais crítica."
      "Entendi que, a pessoa pode morrer, na sua frente, mas você como psicólogo não pode em nenhum momento, falar de Deus para pessoa.""

      (2)""Contei o exemplo de uma mulher que entrou em meu consultório e me disse:"
      "Dê-me uma razão para viver, ou vou sair daqui e vou desistir da minha vida!!!"
      "Eu dei, Deus, ela está viva e bem até hoje.""

      Desses trechos se deduz que você "usou de Deus" no consultório, apesar de ter dito:

      (3)""Deixei claro que não uso a religião para tratar meus pacientes, não tenho nenhuma reclamação em 15 anos no conselho, eles sabem disso. Então não estava entendendo, porque tanto código de ética. Se com meus pacientes nunca cometi um erro.""

      Está meio contraditório.

      Excluir
    2. Olha, não estou tomando partidos de ninguém. Acho absurdo ceifarem o direito a fé de uma pessoa, mas também não é certo usar de religião para cobrir "falhas" da ciência.

      Excluir
    3. Ora, o fato dela ter feito uma referência a Deus não o mesmo que ter transformado o tratamento num culto religioso.

      Excluir
    4. Thiago, o simples uso de "falar" de Deus em um consultório já consiste de uso indevido da profissão.
      Porque ? Porque a pessoa que está ali deu confiança ao profissional e ainda por cima, está totalmente susceptível a ser induzida pelo profissional.
      Em todas as matérias qualquer pessoa nota que ela sim, usa da religião no consultorio, só não vê quem não quer.

      COncordo que o pessoal do movimento GLBT exagera. Sou ateu e nem por isto concordo com eles.
      HOje são um pessoal que tem excessivos direitos sociais. Mas ... tentar tapar o sol com a peneira, é exagero né ?
      Tanto é, que a própria profissional na foto citada na matéria ainda literalmente "gozou com a cara" do código de ética da profissão.

      Vivemos em um país democrático, mas não vamos exagerar né ?
      Qualquer profissional sabe que ele tem que ser profissional e pessoa.

      A profissional em questão, no Twitter, mistura toda hora religião e psicologia.

      Ao contrário do que você disse, sim, há uma separação prática entre religião e ciência. Religião é questão pessoal, de fé. Ciência, é evidência.

      O mais engraçado é o tanto que a pessoa em questão é contraditória.
      Quer falar sobre divindades e criticar terapia de vidas passadas, espiritismo kardecista e etc.
      Ela devia se reslver. Ao defender falar sobre o deus cristão, ela por sua vez, defende de tabela todas as outras terapias alternativas.

      Assim ... é gozação. A moça tem que parar, pensar, e parar de tentar se colocar como perseguida. Ela exagerou sim, e merece o que está sofrendo.

      Excluir
    5. A liberdade de religião não significa você poder ter sua religião desde que escondido. Posso ser médico, psicólogo, professor, advogado ou seja lá o que for e continuar mantendo minha identidade cristã visível. Posso até falar para meus clientes, enquanto pessoa, sobre oração e sobre Deus, desde que não esteja dizendo que isso é o método com o qual vou tratá-la. Se um psicólogo falar que vai curar um paciente com orações, aí ele pode ser acusado de charlatanismo. Caso contrário, não.
      Se o Conselho de Psicologia acha que isso é induzir alguém e quer proibir tal atitude, lamento muito, mas ele está indo contra a Constituição. Logo, está na hora de rever suas atribuições, que estão trilhando para caminhos ditatoriais.

      Excluir
    6. Ataliba, falar de Deus num consultório não constitui uso indevido da profissão em lugar algum. A Dra. Marisa, nos termos em que foi feita a denúncia, nunca fez proselitismo algum na hora de trabalhar, apenas expressou algo de sua personalidade de modo natural e entendível. Se no Twitter ela faz outra coisa, isso não foi colocado no relatório do CRP. E mais, religião não é questão pessoal apenas coisa nenhuma, é social também; e ciência não é um mar de objetivismos. Tá na hora do século XIX ser superado no nosso país e se parar de repetir esses slogans positivistas.

      Excluir
    7. Thiago, concordo que religião é questão social. Só que ela trabalha no âmbito pessoal. E isto é ponto final.
      A religião em si e as crenças não influem em ninguém que não queira ser influenciado por elas ( a não ser lógico, os estados onde a religião é algo oficial ).
      O que eu disse foi isto. È pessoal porque é opinião da pessoa e pronto. A religião só influi na vida de quem a segue.

      E, eu, se caisse em um consultório que alguém falasse uma coisa destas ... na boa ... era denúncia na hora com B.O. de polícia lavrado no local.

      Quanto a falar sobre oração, sim, a mim é uso indevido da profissão. Como seria indevido um cara falar sobre rituais satânicos em um consultório de psicologia, pois influencia.
      Se a pessoa procura alguém, ela confia na pessoa. E, estando ela sob algum problema específico ( mental ) ela vai ser facilmente manipulada.

      Concordo plenamente que ela possa falar o que quiser no âmbito pessoal, desde que, por sua vez, não tente misturar as coisas como ela normalmente faz.
      Caramba, não é ela que critica os psicológos que falam sobre vidas passadas e etc ?
      Então ela que pare. Porque lenda por lenda ... o deus cristão também cai no mesmo vício.

      Excluir
    8. Não, a religião não influencia apenas na vida de quem a segue, ela permeia todo o comportamento ético do indivíduo, ou seja, o que se dá na alteridade. E não confunda Estado confessional com Estado com impõe uma religião. Se você fizesse um BO por algo como o descrito na denúncia estaria apenas sendo histérico (desculpe a sinceridade), pois pelo que foi relatado a Dra. Marisa apenas tocou na questão religiosa de maneira acidental. Ela não transformou o consultório em uma igreja. E se eu tenho de aguentar profissionais de diversas áreas falando acidentalmente sobre os mitos do marxismo ou sobre os delírios de Foulcault, por que não poderia fazer o mesmo com aquilo que constitui um dado da pessoa Marisa?

      Excluir
    9. Thiago, agora para não discordar totalmente de você, sim, eu concordo que há uma cerceamento da dita senhora. Mas ao mesmo tempo, acho que há, do lado dela, um endeusamento próprio para ser tornar uma heroína da fé.

      São dois lados meio complicados. Eu pessoalmente, ainda acho que ela exagerou e o outro lado exagerou.

      Ela porque misturou sim uma coisa com a outra, e eu,
      pessoalmente discordo deste tipo de coisa ( como disse, se cair num consultório e abrirem a boca para falar isto, é B.O. na certa e queixa sem dó ), e acho a decisão acertada, no âmbito profissional.

      Já, no âmbito pessoal, sem chance. Eles não tem direito mesmo.

      Assim, fico no meio termo. Profissionalmente, acho que ela tem que amadurecer.
      E o CRP tem que realmente rever algumas coisas ... porque realmente não é bem assim :-)

      E, parabéns pelas opiniões, raras são as pessoas que tem uma visão neutra como a sua.

      Agora ... sério. Eu realmente queria realmente conhecer o teor inteiro da denúncia ( ainda desconfio que isto é meio marketing pessoal ).

      Porque, sério ... até agora só vi ela falando, e evangélicos são meio exagerados ( já vi caso de patrões evangélicos mandando espíritas para o olho da rua por causa da religião ).

      Ainda queria ver um comunicado oficial do Conselho de Psicologia e comparar com o que ela diz ...
      Aí, sim, formar uma opinião mais séria e imparcial :)

      Excluir
    10. "Não, a religião não influencia apenas na vida de quem a segue, ela permeia todo o comportamento ético do indivíduo, ou seja, o que se dá na alteridade."

      Mesmo com a sua frase acima, ainda vejo ela como pessoal. Por exemplo, em que o cristianismo permeia minha vida ? Em nada ... mas é visão pessoal minha.

      Mas eu concordo com o seu ponto principal. Pedir para limpar o Twitter é exagero.

      Excluir
    11. Bem, como eu já disse aqui não sou protestante e nem compartilho da visão da Dra. Marisa sobre a homoafetividade ou sobre a questão da maconha, mas achei completamente totalitária a postura do CRP.

      Excluir
    12. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    13. Meu caro, a religião influencia sua vida mesmo que você não queira (e isso é mais uma prova de que ela não é apenas pessoal). Para entender o que estou falando, sugiro a leitura deste artigo:

      http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/voce-tambem-cristao-ateu-mesmo-que-nao-queira/

      Excluir
    14. Thiago, agora entendi seu ponto e concordo. Neste caso em si, a religião influencia em termos, porque vários dos valores delas são arraigados em nossa cultura.
      Mas ao msmo tempo, ainda discordo da "influência" direta dela :-)

      valeu pelo debate. Gosto quando a coisa discorre assim.

      E, eu entendi plenamente o seu ponto sobre não ser protestante, e achei válido.
      A postura do CRP é totalitaria mesmo em parte do caso, mas na outra, como já lhe disse acima, eu ainda acho que pende para o certo.

      Mas ainda gostaria de ver tudo sobre o caso, com documentos e etc para formar uma opinião mais assertiva :)

      Excluir
    15. Então se você se forma Biólogo vai ensinar Gênesis ao invés de Evolução? Você sera exonerado do cargo de professor... Se você é Cristão e sabe que determinada profissão ou carreira é imcompatível com suas crenças, então é melhor nem seguí-la. E se fosse permitido pelo conselho "temperar" a psicologia com religião, ela não estaria tendo problemas... Esse tipo de profissão geralmente tem um "juramento a se fazer e cumprir" assim como médicos o fazem. Talvez ela esteja ferindo algo desse tipo ou algum "princípio" da psicologia. O conselho existe para manter a ordem e a imagem da profissão, assim como sua credibilidade. E agindo dessa forma ela põe em xeque a eficácia das técnicas da profissão. Isso ela mesmo diz na reportágem: "...apenas por dar essa oportunidade as mães e usuários de saberem que existe um Deus que pode tirá-los desse lixo que a psicologia não tem conseguido."

      Já disse, não duvido da cura pelo poder de Deus. Deus está presente em tudo e em todos e cura e proteje. Eu acredito em Deus. Ela pode ajudar alguém a se curar pelo poder de Deus? Pode e deve. O que ela não pode é fazer uma associação disso com a psicologia. É DISSO QUE O CONSELHO ESTÁ RECLAMANDO. E nesse sentido eles estão certos. Vocês estão falando como se eles estivessem fazendo ela renegar a Deus, e não é isso. Ela não precisa "esconder" que é Cristã. Querem que ela desvincule Deus da imagem da psicologia. Matar é pecado, mas um soldado Cristão mata nas guerras se for necessário. Ela pode agir como o conselho quer e curar pela fé, contanto que não misture as duas coisas. Mas uma vez uso o exemplo do professor de biologia. Nas escolas ele ensina EVOLUÇÃO. Na escola dominical e catequeses ele ensina GÊNESIS.

      Excluir
    16. Mas é evidente que se eu fosse biólogo eu poderia não ser evolucionista, agora, naturalmente, teria de argumentar contra o evolucionismo em termos biológicos (e mais, você tomar a exegese do Gênesis no sentido mais rasteiro é pura ignorância). Dito isso, sua colocação sai completamente do caso, pois a Dra. Marisa não fez nada do que você a acusa, ela, na opções que são possíveis para um psicólogo, escolheu as mais compatíveis com sua fé e, de modo acidental (você sabe o que quer dizer essa palavra?), falou de Deus. Nada mais natural, nada mais razoável; o resto é puro lero-lero.

      Excluir
  15. É triste como todos ousam falar em liberdade de expressão, mas não cessam de castrar a liberdade do outro.
    Desde quando a Dra. não cometa erros no exercício de sua profissão, nada têm contra ela.
    Os homossexuais estão querendo por uma mordaça em todos que se mantenham firmes contrario a doença homossexual, mas atiram pedras com mais ênfase em quem acham que possa lhes servir como "aviso aos demais".
    Ela tem total direito de crer em Deus e de assumir isso e de se dizer Psicóloga, afinal ela é.
    Ela tem total direito de embasar sua posição em sua fé, pois a sua fé está baseada na Bíblia e a Bíblia condena a prática homossexual. E tem total liberdade de condenar o homossexualismo sob alegações da psicologia se apresentar embasamento válido para tal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para completar, a Bíblia é clara quanto condenação do homossexualismo .... mas tbm é bem clara que DEUS ama o homossexual, tanto que Ele quer salvar o mundo inteiro. (João 3:16)

      Excluir
    2. Vocês estão fazendo o jogo desse conselho regional de psicologia com esse papo sobre "homossexualismo", pois a Dra. Marisa colocou claramente que não faz nenhum tratamento para gays (até porque isso não existe). A condenação veio exclusivamente pelo exercício da liberdade dela em discordar do movimento gayzista e dos maconheiros, ou seja, o conselho regional está se intrometendo na vida privada de uma pessoa sob a alegação ridícula de que isso mancha os outros profissionais.

      Excluir
    3. Bom, vou ter que concordar com o Thiago.

      Uma coisa não tem nada a ver com a outra.

      Excluir
  16. Assim como o Thiago disse eu completo, não se pode comprometer a carreira da Marisa baseada em suas declarações particulares!

    Outra coisa, a declaração dela para aquela paciente, foi a ultima opção que o cliente tinha, a pessoa ja pensava em se matar. Deixar morrer ou apresentar uma outra opção?! Foi uma situação ímpar (ÚNICA), onde só quem presenciou foi a Marisa e a cliente.

    ResponderExcluir
  17. Olá Doutora Marisa Lobo, parabéns pela sua coragem. Muitos gostam de postar as resolucões da OMS, da Associação Americana de Psicologia, do Conselho Federal de Psicologia e tantos outros conselhos que foram pressionados pelos ativistas homossexuais, muitos deles infiltrados nestas mesmas instituições, fazendo lobby e posando de perseguidos, os mesmos que não medem esforços em perseguir aqueles que questionam suas ideologias e comportamentos aprendidos. Os que pedem respeito são os primeiros a não respeitarem o direito dos outros de terem suas convicções, suas crenças. Estas pessoas que adoram postar as resoluções das já referidas autoridades no assunto de que a homossexualidade não é um disturbio, uma neurose,uma doença. Esses mesmos, e nem mesmo a OMS, são capazes de trazer uma prova científica de que não seja. A Ciência baseia - se em provas científicas para dizer se algo é ou não doença, mas neste caso, ela não tem como dizer nada, uma vez que não há gene gay, e muito menos uma terceira possibilidade cromossomática; XX e XY são, genéticamente falando, as únicas possíbilidades, portanto, ninguém nasce gay. Quem quiser viver a homossexualidade que viva. Eu quero abandoná-la e estou conseguindo. Esse é o medo que eles tem? Se realmente não é possível a mudança, por que não deixam as pessoas tentarem e descobrirem por sí próprias?
    Tenho conseguido grandes vitórias sobre a neurose homossexual, conheço algumas pessoas que também já conseguiram. Quero o direito de consultar um psicólogo para que este me ajude nas coisas que ainda são difíceis para mim.
    Estou com a Doutora. Não desista nunca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse não é o caso dela. Ela não faz tratamento para gays (e eu particularmente não acho que isso seja possível quando se fala da orientação de alguém - que não é o mesmo que comportamento). A melhor estratégia para defendê-la é fazermos críticas bem específicas em cima da "denúncia", sem dar margem a manobras dos politiqueiros desse conselho regional.

      Excluir
    2. Ainda que não seja possível hoje, é preciso fé para achar que nunca haverá tratamento eficaz para esse distúrbio. A ciência avança e quem sabe poderá um dia curar totalmente o homossexualismo.

      Excluir
    3. Bem, eu não considero que se trate de nenhum distúrbio ou de algo passível de cura, mas não vou entrar nesse mérito. Quem quer transformar esse caso em vitrine para a defesa de posturas cientificistas e homofóbicas devia ficar longe daqui. Atenham-se à contestação do relatório do CRP.

      Excluir
    4. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    5. Depende do que você define como "homofóbico'.

      Excluir
    6. Claro que depende. E para mim ficar defendendo maluquices da medicina do século XIX só porque se entende que o exercício da homossexualidade é errado se enquadra nesse termo.

      Excluir
    7. Se a "condição homossexual" fosse um bem, seu exercício não seria errado, pois não é errado agir de acordo com a natureza. Então, a "condição homossexual" é um mal, independente de qualquer coisa que se considere "maluquice do século XIX".

      Excluir
    8. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    9. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    10. Sua colocação foi completamente inadequada, pois aqui não se está discutindo nada em termos filosóficos. O fato puro e simples é que mesmo levando em conta isso que você disse, ainda assim isso não seria da alçada de ninguém querer corrigir a realidade, em especial sob pressupostos do falido cientificismo positivista do século XIX.

      Excluir
  18. Marisa: Com grande tranquilidade,você tem uma oportunidade ímpar de contribuir para desmontar um "tigre de papel"internacional,que usa o estímulo ao homossexualismo e ao aborto provocado para manter populações imaturas,impulsivas, ignorantes, permitindo,por exemplo,manipulações eleitorais,financeiras e,através do semidespovoamento de vastas regiões,facilitar o roubo de minerais estratégicos,como o nióbio no norte do Brasil.Além disso, a oportunidade é rara para deflagrar a luta contra grupos fascistas que buscam cercear a liberdade de pensamento e ação,inclusive filosófica e religiosa.As Resoluções do Conselho Federal de Psicologia são ilegais,inconstitucionais,fáceis de derrubar com uma açào organizada.De fato,ele se tornou instrumento de uma ONG homossexual, a qual é controlada por grupos mais altos.Sou psiquiatra e cônsul,com experiência no assunto, inclusive dentro das Nações Unidas.Espero que me contacte para,através de mim e outros, se estruturar com psicólogos e psiquiatras contra este totalitarismo antidemocrático, e permitir o deflagramento duma ação inteligente, eficaz,contra os inimigos do Povo, da saude mental,das nações e da liberdade de pensamento,inclusive religioso. cdcn@infop.com.br

    ResponderExcluir
  19. É engraçado como vivemos uma época de liberdade total para muitos e um preconceito enorme contral alguns que tem a coragem de ira contra o sistema mundano imposto. Se fosse alguém criticando um homossexual, ela seria linchada, mas como ela está pregando a Palavra de Deus, ela tem que ser calada, todo mundo crítica, com todo preconceito mundano, como se ela estivesse errada. Vai enfrente, lute minha irmã, contra essa corja do CRP/CFP, que como já disseram acima, "uma ONG LGBTWXYZ" disfarçada. Eles estão tentando dominar o mundo, mas pra isso terão de passar por cima da gente, e não somos qualquer gentinha. Sou cristão evangélico pentecostal, Químico, mestrando em Recursos Hídricos, e futuro doutor. Minha fé é minha identidade, não uma religiosidade, mas minha essencia. Em minhas aulas, apesar de que criação e evolução não são assuntos curriculares de Química eu apresento os dois conceitos, crio um debate em sala de aula, e oriento, imparcialmente, os alunos nesse debate. O CRQ/CFQ nunca me impedirá de expor minha fé. Posso sim ser um cientista e ser evangélico, não existe nenhum conflito nisso em minha vida.

    ResponderExcluir
  20. Tem tempo, leiam o artigo do Pr. Marcelo Rubens ...
    Este sim, um cristão que tem noção do seu papel dentro da psicologia.

    http://prmarcelorodrigues.blogspot.com/2011/03/teologia-e-psicologia-grandes-furadas.html

    ResponderExcluir
  21. oh,pobre coitadinhos, tao perseguidos!
    e a perseguiçao que voces evangelicos fazem? pimenta no olho dos outros é refresco ne?
    enquanto quiserem meter a fé de vcs em tudo vai ser assim mesmo
    ta certo em perder diploma, nao sabe dividir profissao de crença

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é a mesma coisa que eu dizer que você tem que perder seu computador pra eu não ter que ler declarações como essa que você fez, pois não me agradou. Ou seja, total falta de argumentos de sua parte.

      Excluir
    2. engraçado, acho que impedir as pessoas de levar a vida q elas querem é exatamente o que vcs fazem(:

      Excluir
    3. Em primeiro lugar, ninguém tem o direito de levar a vida que quer. Em segundo, se o princípio por trás desse caso de repressão burocrática for levado a outros campos nossa liberdade diminuirá. Eu mesmo não sou protestante (considero o protestantismo uma heresia), não compartilho da visão pessoal da Dra. Marisa sobre a homossexualidade, e nem sobre a liberação da maconha, mas apoio a psicóloga na sua luta pela liberdade de expressão (que, evidentemente, não é absoluta, mas no caso em tela não há nada demais).

      Excluir
    4. a pessoa tem sim o direito de levar a vida que quer desde q isso nao prejudique ninguem. qualquerpessoa que fura com a etica da sua profissao perde diploma, porque com ela teria de ser diferente?

      Excluir
    5. Ela não quebrou ética nenhuma segundo os termos da denúncia. Ponto. Esse caso não passa de um exemplo de histeria politicamente correta da parte do CRP.

      Excluir
  22. Ela pode, muito bem, continuar com seus sites, sem dizer que é psicóloga. Assim, poderá continuar a defender sua fé e condenando o vício sodomítico, sem ser incomodada por fanáticos do CRP.

    ResponderExcluir
  23. jesus christ protect me from your followers o-o

    Galera, procurem se informar mais sobre homessexualidade em livros de ciência e menos na bíblia. Existem inúmeras evidências do caráter genético da homossexualidade, além de ela ter sido identificada em diversas outras espécies de animais.

    abraços o/

    O Conselho agiu certo se a Dra. utilizou "deus" como um método de cura. Como bem disseram acima, as pessoas que procuram a cura por meio da religião vão às igrejas, não a consultórios.
    Espero que a Dra. entenda que a liberdade dela professar a fé dela está limitada pelo direito do paciente de ter um atendimento profissional e sem proselitismo religioso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda que tivesse evidência genética, isso não significa que não possa ter tratamento. Síndrome de Down é um distúrbio genético e tem terapia!

      Excluir
    2. "O Conselho agiu certo se a Dra. utilizou "deus" como um método de cura."

      Ela não usou. Esse é o ponto. Quem a denunciou não foram pacientes que tenham se decepcionado, foram militantes de causas que ela critica (não no consultório, na internet). Segundo eles, ela não pode criticar esses grupos baseada nos princípios que ele recebeu de sua religião porque é psicóloga. Na verdade, eles querem calá-la e se aproveitam da possibilidade de interferência do CP. Se fosse advogada, por exemplo, iriam apelar para a OAB e dizer que uma advogada não pode deixar suas crenças visíveis pois isso seria discriminação e uma maneira de induzir os outros.

      Excluir
    3. Ainda que não haja tratamento hoje, é preciso fé para achar que nem no futuro a ciência encontrará tratamento eficaz contra esse vício. A ciência avança e poderá, nesse caso, um dia, chegar à cura total do homossexualismo.

      Excluir
    4. Ela não usou Deus como método de cura e a sexualidade de ninguém está apenas submetida a fatores genéticos. Se você é gay, sugiro que não compre essa fábula cientificista. As pessoas se enganam achando que qualquer coisa com base preponderantemente psicológica é mutável ad aeternum, não é, orientação sexual não muda; se a Dra. Marisa defende isso ela está equivocada, mas mesmo assim ninguém tem direito de cercear a liberdade de expressão dela nos termos absurdos em que isso foi feito. Essa decisão do CRP é um perigo para todos nós, não pode passar em branco.

      Excluir
  24. Evidências genéticas do homossexualismo? Faz-me rir!

    Procure você se informar:

    http://www.editoracentralgospel.com/_gutenweb/_loja/pg_produto.cfm?cod_produto=69349

    ResponderExcluir
  25. huhahuhusas......
    "caráter genético da homossexualidade"........
    cada uma !!!
    só rindo mesmo - É A DITADURA GAY.
    Kit gay nas escolas pode? um professor ensinar meus filhos que homossexualidade é normal pode? pq. esse grupo é tão intolerante?
    é só ver o que eles fazem nas passeatas gays(como da av.paulista), precisa de tanta baixaria? tanta provocação? Nos poupem.Tb. tenho meus direitos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, há fortes indícios de que a Homossexualidade seja genética: http://www.pnas.org/content/105/27/9403.abstract
      http://tiv.elivieira.com/post/5951422177

      Excluir
    2. Nenhum comportamento humano concreto resulta apenas de um fator; mesmo a psicopatia, que indubitavelmente tem origem genética, não consegue fugir de modulações sem relação alguma com a hereditariedade.

      Excluir
    3. "há fortes indícios de que a Homossexualidade seja genética"

      Deve ser sim, como são a maioria das doenças.

      Excluir
  26. psicologia e religião são coisas opostas
    quer ser cristã seja mas ñ leve isso pro seu trabalho


    *lugar de pastor é na igreja*

    ResponderExcluir
  27. Acho que antes de caçar ela, deveriam fazer um pequento teste de imparcialidade: Colocá-la para atender somente indivíduos Homossexuais, pessoas não-cristãs (quanto mais exótica for a crença, melhor), e ateus. Sendo que todas estas consultas estariam sendo gravadas, e a partir daí, observar a atuação dela no consultório.

    Simples assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Simples, infantil e stalinista assim.
      Nenhum conselho pode obrigar uma pessoa a fazer isso e consultas não devem ser gravadas (pois isso expõe o paciente e o terapeuta), ainda mais com esse objetivo.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  28. Então se você se forma Biólogo vai ensinar Gênesis ao invés de Evolução? Você sera exonerado do cargo de professor... Se você é Cristão e sabe que determinada profissão ou carreira é imcompatível com suas crenças, então é melhor nem seguí-la. E se fosse permitido pelo conselho "temperar" a psicologia com religião, ela não estaria tendo problemas... Esse tipo de profissão geralmente tem um "juramento a se fazer e cumprir" assim como médicos o fazem. Talvez ela esteja ferindo algo desse tipo ou algum "princípio" da psicologia. O conselho existe para manter a ordem e a imagem da profissão, assim como sua credibilidade. E agindo dessa forma ela põe em xeque a eficácia das técnicas da profissão. Isso ela mesmo diz na reportágem: "...apenas por dar essa oportunidade as mães e usuários de saberem que existe um Deus que pode tirá-los desse lixo que a psicologia não tem conseguido."

    Já disse, não duvido da cura pelo poder de Deus. Deus está presente em tudo e em todos e cura e proteje. Eu acredito em Deus. Ela pode ajudar alguém a se curar pelo poder de Deus? Pode e deve. O que ela não pode é fazer uma associação disso com a psicologia. É DISSO QUE O CONSELHO ESTÁ RECLAMANDO. E nesse sentido eles estão certos. Vocês estão falando como se eles estivessem fazendo ela renegar a Deus, e não é isso. Ela não precisa "esconder" que é Cristã. Querem que ela desvincule Deus da imagem da psicologia. Matar é pecado, mas um soldado Cristão mata nas guerras se for necessário. Ela pode agir como o conselho quer e curar pela fé, contanto que não misture as duas coisas. Mas uma vez uso o exemplo do professor de biologia. Nas escolas ele ensina EVOLUÇÃO. Na escola dominical e catequeses ele ensina GÊNESIS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ghalladryel,

      Parece que você não entendeu que a psicóloga em questão não está misturando nada. Ela não ensina religião no seu consultório. E um professor não é proibido de falar de sua crença em Deus em sala de aula. Eu falo e sou professor.

      Excluir
    2. Se existe alguma regra que impede que um psicólogo demonstre sua fé, essa regra sim precisa ser revista. Ela não disse que faz curas ou milagres para aplicar os fundamentos da psicologia

      Seguindo seu próprio exemplo do "biólogo catequista" e o que está acontecendo com a psicóloga Marisa, se um professor ensinar a teoria da evolução e falar para os alunos como opinião pessoal que essa teoria não invalida a crença em Deus e que não são coisas incompatíveis (esse é, aliás, o pensamento da maioria dos cristãos) o professor deveria ser demitido. O que mostra o absurdo da situação.
      Além do mais, há inúmeras pesquisas que demonstram que a fé ou qualquer outro valor absoluto que uma pessoa possui pode ser usado como suporte para sua recuperação em doenças. Já ouviu falar em Viktor Frankl e Logoterapia? Então, se a psicóloga recebe um paciente que é religioso e ela diz para que ele se apegue às suas convicções religiosas, ela está sendo charlatã? O pensamento cientificista demonstrado aqui não deve nada ao que ocorria na URSS. Eu acharia inacreditável se não soubesse que isso é só uma desculpa de um grupo para perseguir uma pessoa que fala verdades inconvenientes (para esse grupo).

      Excluir
  29. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  30. Sou ateu, não acredito em curas milagrosas nem mágica divina, mas, acredito que essa psicóloga não tenha feito nada de mais, ela tem uma vida pessoal e tem o direito de expressar a fé dela nas redes sociais, até onde sei... Não acredito que seja profissionalmente aceitável ela expressar essa fé dentro do consultório, devido ao posicionamento dos conselhos de psicologia nacional e internacional. Regras sobre esse tema existem e devem ser cumpridas, porém, se ela faz isso e os pacientes aceitam de bom grado, e CONSEGUE BONS RESULTADOS, quem somos nós para incriminá-la por isso? Se em algum momento um dos pacientes se sentir incomodado e reclamar com ela, é só ela mudar a postura em relação a esse paciente específico. Não acredito que agiria contra a vontade do paciente, não a conheço mas imagino que ela não faria nada pra prejudicar sua própria carreira nem a vida dos pacientes. Acho essa história toda uma tempestade em copo d'água feita por gente que vê crime em tudo, vê discriminação e preconceito em tudo e acaba discriminando sem perceber. É a minha opinião.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um dos erros que ela cometeu foi epistemológico. Não há uma "Psicologia Cristã". Há psicologia feita por cristãos, apenas.

      Qdo ela diz que usa psicologia cristã, está na verdade disfarçando pregação religiosa de algo pretensamente científico.

      Excluir
    2. Há uma psicologia cristã sim. Psicologia é a parte da ciência filosófica que estuda a alma e suas potências. Logo, se existe uma filosofia cristã, existe uma psicologia cristã, ou que compartilha de verdades comuns ao cristianismo, que são as verdades da razão humana. A psicologia, enquanto ciência experimental, com princípios próprios, ainda assim pode se considerar cristã, quando não contraria o cristianismo e pode ser influenciada positivamente por este.

      A maioria das pessoas nem sabe que psicologia é uma parte da filosofia.

      Excluir
    3. A psicologia atualmente é um ciência específica que possui seu objeto de análise e seu aporte teórico instrumental para compreender as relações do homem/ indivíduo em sociedade.

      Excluir
    4. perae, vc discrimina quem tem uma orientaçao sexualdiferenteda sua , e eles que nao toleram quem é diferente?eles que sao '' homonazi"?faça-me o favor ne? se olha no espelho antes de falar porque omundo da voltar e um dia esse '' homonazi'' pode ser alguem da sua familia (;

      Excluir
    5. Nem todo mundo tem as opiniões 100% voltadas para os próprios interesses. Se alguém que critica o que a militância homossexual está tentando fazer vier a descobrir um filho ou outro parente fazendo parte dessa militância não significa que essa pessoa vá deixar de criticar o grupo. Ela só vai ter um conflito a administrar, mas que não é impossível para quem está colocando em cheque o valor de ideias e atitudes e não o valor de pessoas.

      Excluir
    6. e se naoé do seu proprio interesse,se naoé com sua vida,porque quer se meter?
      acho que torelancia tem sim muito a ver com valores
      se vc se sente ameaçado pelos gays isso pra mim significa outra coisa...

      Excluir
  31. Se fosse um pastor que no exercício de sua função utilizasse como base as teorias da piscologia ao invés da sua Bíblia e tradição religiosa ele estaria certo? certamente que não. Então querida, escolha, ou vc é psicóloga ou pastora, se as duas coisas, saiba utilizar os instrumentos de cada função em momento próprio e adequado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E onde foi que ela fez diferente?

      PS: Um pastor pode sim usar ferramentas da psicologia em suas pregações, desde que não esteja em oposição aos princípios de sua religião. Isso nada tem com o caso em discussão, mas escrevo pelo exemplo que você tentou dar.

      Excluir
  32. Sinto-me envergonhada com tantos comentários escrotos partindo de colegas de profissão. Se esse Deus aí de vocês realmente existe, que ele seja sensato o suficiente para cassar a carteira profissional dessa mulher, não só pela falta de ética, mas porque suas declarações falam por si só: quem precisa de tratamento é ela.

    Antes de perguntar "O que impede a doutrina cristã de ser usada na psicologia?" e de defender essa maluca, vão estudar! Se você não cursou 5 anos de uma faculdade de Psicologia você provavelmente não tem embasamento teórico para discutir. E se estudou, então você não entendeu nada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. onordo plenamente,alguem que discrimina outros seres humanos nao esta apto a ser psicologo nem ajudar ninguem

      Excluir
    2. Claudia,
      Sua falta absoluta de argumentos é porque você não sabe argumentar ou porque acha que não precisa?

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    4. Não vi argumentos contra o uso da doutrina cristã dentro do consultório, que nem é o caso da Marisa Lobo, mas sendo bem mais radical, qual o problema em usar Cristo para tratar as pessoas? Loucos são vocês que defendem o homossexualismo com algo normal, chegado a dizer que o gênero é uma construção social!!!! Quem é o maluco? Quem vê a realidade ou aquele que prefere se esconder atrás de uma cortina ideológica? Pois é isto que vcs são! Revolucionários a serviço do marxismo cultural!!! A psicologia está infestada de pessoas doentes,(gays, ateus, drogados), como disse antes, são contra DEUS, querem forçar as pessoas, todas, a nega-Lo. Querem que sua cosmos-visão doentia seja imputada na sociedade. Vocês é que são loucos por negar a Realidade, que é DEUS.

      Excluir
  33. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  34. Marisa, fiquem em paz que tudo isso passará !
    O Deus que te criou e criou todos os que fizeram esses comentários, é o mesmo ontem, hoje e sempre e nunca abandona aqueles que o amam!
    Conheço muitos psicológos(as) cristãos e que fazem assim como voce o maior sucesso, continuem assim. Eu e minha família estamos orando por voce !

    ResponderExcluir
  35. Veja um exemplo, o Silas Malafaia é Cristão e Psicólogo e já tentaram caçar o registro dele mais de três vezes e nunca conseguiram. Tente falar com ele e peça umas dicas de como arrumar provas que você está executando o seu trabalho e não colocando religião no meio. Abraços

    ResponderExcluir
  36. Entendo que houve claro abuso do conselho, com o objetivo de atender a cartilha disfarçada de gayzista/ateista, cujo miolo é na verdade globalista/comunista.

    É preciso distinguir o gay do gayzista e o ateu do ateista. O ateu nada tem a ver com o ateista, como o homosexualismo nada tem a ver com o gayzismo, que é um movimento ideológico, em que homossexuais são usados como massa de manobra de interesses globalistas/comunistas. Todo gay que apoia o gayzismo é um idiota util a serviço do comunismo e está dando um tiro no próprio pé, pois serão os primeiros que os comunistas mandarão ao paredão.

    Quanto a discussão se é doença ou não, o homossexualismo foi retirado da lista de doenças, entre aspas. Foi, MAS, sob imensas pressões, por votação c/ grande abstenção, e não com base em ESTUDOS CIENTIFICOS e até hoje não há consenso entre a comunidade cientifica.

    O Dr Eusimar Coutinho, cientista de competencia inquestionavel, certa vez disse que a reposição hormonal deve ser muito bem dosada pois, um pouco além da conta certa, pode levar a desejos pelo mesmo sexo. Subentende-se que o homosexual pode ser tratado também por reposição hormonal. Eu acredito nisso; que homossexualismo é um disturbio hormonal e, portanto, pode ter origem genética, mas pode ser tratado. No meu ponto de vista, o homossexualismo é também opção sim, como é opção também de um cardiaco recusar tratamento, se vangloriar de ser cardiaco(como bebados se orgulham de destruir seu próprio fígado) e até de criar o dia do "orgulho cardiaco".

    ResponderExcluir
  37. O Brasil corre o sério perigo de ter a ciência e a ética profissional submissas à religião. Qualquer pessoa tem o direito de seguir a religião que quiser, mas não tem o direito de misturar isto com sua profissão, seja ela qual for, senão daqui há pouco, um consultório de psicologia, vai poder ter tambores, gente pegando santo e a psicóloga dizendo que o mal psicológico tem ligação com o exú caveira e ninguém vai poder falar nada. Existe até uma contradição entre Psicologia e religião, mas deixemos para lá este tipo de polêmica, no entanto, uma Psicóloga que quer a cura de uma coisa que a própria Psicologia diz que não é doença, é sim ferir a ética profissional é inclusive ser contra a própria Psicologia, tanto como ciência como instituição, tomara mesmo que seja cassada para que este tipo de coisa não vire moda.

    Ela teve a oportunidade de se retratar, mas resolveu alegar o tal famigerado "direito de liberdade de expressão", como se este suposto direito fosse superior à ética profissional. Psicologia é considerada ciência justamente por não tratar do sobrenatural, então que esta mulher deixe a Psicologia e vá se transformar em missionária para garantir sua liberdade de expressão, pois dentro da Psicologia deve seguir a ética profissional.

    ResponderExcluir
  38. Marisa fique na paz, e que DEUS te abençoe
    Acho realmente um absurdo tudo isso mas o DEUS que nós servimos e poderoso e todas as coisas se movem a favor dos que o temem.
    Que que fique sabendo que descobri isto hoje e vou enviar para mais pessoas acho que nos cristãos temos que sermos mais unido, to contigo e não abro, estarei horando.

    ResponderExcluir
  39. Se aplicassemos o mesmo rigor "ético" que o Consellho Regional de Psicologia está empregando para julgar a psicóloga cristã Marisa Lobo, então o próprio Dr. Sigmund Freud seria cassado, uma vez ele mesmo publicamente professava ser ateu e, inclusive, publicou alguns livros e artigos para defender sua crença no ateísmo, entre os quais estão "O Futuro de uma Ilusão" e "Totem e Tabu". Conclusão : ao insistir para que a psicóloga cristã negue a sua fé, ou o CRP está afirmando que o Dr. Freud era antiético por professar o ateísmo, ou pior do que isso, está tomando partido ao favorecer uma crença em detrimento da outra, o que configura claramente perseguição por puro preconceito religioso. É por essas e outras que defendo que não é função do Estado regulamentar que tipo de postura religiosa ou anti-religiosa é mais adequada ao terapeuta. É um DIREITO DO CLIENTE escolher o psicoterapeuta que com quem quer se consultar, e isso inclui não apenas a linha psicológica, mas também a orientação religiosa (ou não) do terapeuta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não vejo relação alguma entre uma coisa e outra. Apesar de não gostar de Freud, tenho plena consciência que ele jamais impôs sua fé religiosa a qualquer pessoa em um tratamento, e quem estudou sabe disso. E se a Bíblia servisse como Código de Ética, todos os evangélicos deveriam ser psicólogos. Poupem-me.

      Excluir
    2. Primeiro: Freud não era psicólogo.
      Segundo: psicanálise e psicologia não são a mesma coisas e têm origens completamente distintas.
      Terceiro: Você está comparando dois contextos com um intervalo de 2 séculos. Ignorância.
      Terceiro: você sabe muito pouco sobre o código de ética e sobre questões éticas. Deveria ler mais a respeito. Pois só falou bobagem.

      Excluir
  40. Defender a idéia de trazer a religião para dentro da psicologia é pura tolice e ignorância explícita! A meu ver esta pseudo-psicóloga leu pouco, sabe pouco, falta pesquisa, discernimento, lógica, sensatez para como trado do individuo sem a necessidade de "Muletas" como fé, oração, crença e deus... isso já se usa desde que homem é homem! inove, mude, pesquise formas de se trabalhar sem a necessidade de por deus no meio!

    Por exemplo, de início a senhora e qq outro comentarista daqui pode começar pelo seguinte:

    Tem um livrinho chamado "Onde a Religião Termina?" do professor, filósofo, ex-sacerdote da Igreja católica que expõe de maneira clara, contudente, com argumentos inquebrantáveis, todos os probelmas ligados a religião. E PRINCIPALMENTE MOSTRA FORMAS DE SE SUPERAR ESTAS MULETAS DAS CRENÇAS, é bem isso mata a cobra e mostra o pau! Leia, debata, garanto que um simples livrinho como esse pode remexe totalmente suas pseudos certezas. Site de mesmo nome, com possibildidade de ver até o sumario do livro. www.ondeareligiaotermina.com.br

    "... O devoto ou crente pensa estar seguro ao abraçar o caminho da religião, uma via que promete o céu, paraíso ou plena realização no sentido de existencia. As indicações ao longo dessa estrada apontam valores universais: amor, paz, perdão, fraternidade, plenitude. Contudo, a nebulosidade que permeia o próprio caminho impede que o viajante de perceber que está se encaminhando para as inóspitas paragens do sectarismo, da manipulação, da institucionalização da depêndencia, do discurso insincero e da violência. Apesar das indicações em contrário, é nesse sinuoso e contraditório caminho que a religião termina...."

    Ps: Não tenho intenção de convencer ninguém de nada, não acredite do que estou lhe falando aqui, tenhas suas experiências! apenas informo que há outros paradigmas e pesquisas como tantos outros tem. Mas mistura religião e psicolgia beira a burrice total! Absurdo!

    ResponderExcluir
  41. Então vai ser pastora, querida.

    ResponderExcluir
  42. Dentro do consultorio voce deve exercer a função de psicóloga, lá fora pode ser o que quiser. Nos seguimos uma linha teórica e dentro deste trabalhamos com um método e uma tecnica. Voce precisa se comprometer com isso, pois isso e' respeito ao paciente que paga pelo teu serviço. Eu também tenho minha religião e minha tarefa lá nao e' converter ninguém para a minha crença...voce acha que seria bacana voce cobrar uma sessão pra voce falar de Deus?... Voce pode ter a tua religião e falar de Deus sim, o que voce nao pode e' fazer isso dentro da clinica com seus pacientes, pois desta forma sua tecnica de trabalho seria religiosa, entende???

    ResponderExcluir
  43. Primeiramente, bom dia a todos..... a favor e contra a Psicóloga. De início, gostaria de me expressar: sou cristão, mas não evangélico; sou praticante a meu modo; respeito todas as religiões e crenças não fundamentalistas e que não usem o mal como suporte, isso inclui o judaísmo, o islamismo, o hinduísmo, o espiritismo, as seitas afro-brasileiras e até as variações cristãs, evangélicas, ortodoxas, católicas romana ou brasileira. Alguns podem não concordar, mas eu exijo respeito: trata-se da minha livre manifestação do pensamento... gostem ou não.

    Por outro lado, não sou homofóbico. Mas, também exijo respeito a minha heterossexualidade. Se o homossexual tem uma orientação e exige respeito, ótimo; entretanto, eu tenho os mesmo direitos e deveres que eles.Alguns podem não concordar, mas eu exijo respeito: trata-se da minha livre manifestação do pensamento... gostem ou não.

    Bem, eu gostaria de fazer um questionamento: houve constrangimento ou induzimento de pacientes da referida psicóloga que ensejassem reclamação formalizada no CRP ou CFP. Não notei isso. Ora, creio que a manifestação dos conselhos só se envidaria neste caso. Tirando a situação da palestra, em que a psicóloga entendeu que um tratamento de dependência química somente seria efetiva se fosse com a intervenção religiosa; e, na outra situação em que uma paciente suicida teve na religião um instrumento de desagravo; eu não notei mais nenhuma ligação da profissão e religião nesse caso.

    Agora, se existem pessoas incomodadas com as publicações da psicóloga nas redes sociais........ "Me ajuda aí"....tem coisas mais importantes a se fazer do que ficar com briguinha virtual. Rede social é pra isso. Para debater. O problema é que tudo virou homofobia. Tudo é preconceito. Tudo. Saibam debater na rede social...se foi lá que o problema surgiu (como muitos fizeram aqui nesse blog).
    Respondam-me: qual o prejuízo prático que essa psicóloga trouxe a alguém......por favor, me demonstrem?

    Relembro: todo fundamentalismo, todo radicalismo é pernicioso, seja ele religioso, seja ele doutrinário, seja ele ideológico.

    ResponderExcluir
  44. Art. 2º – Ao psicólogo é vedado:
    a) Praticar ou ser conivente com quaisquer atos que caracterizem negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade ou opressão;
    b) Induzir a convicções políticas, filosóficas, morais, ideológicas, religiosas, de orientação sexual ou a qualquer tipo de preconceito, quando do exercício de suas funções profissionais;
    f) Prestar serviços ou vincular o título de psicólogo a serviços de atendimento psicológico cujos procedimentos, técnicas e meios não estejam regulamentados ou reconhecidos pela profissão;

    ResponderExcluir
  45. Esses adoradores de crendices tem que sumirem. Estamos no seculo 21 e nao no seculo 1.

    ResponderExcluir
  46. Esta profissional da mesma área fala de "Terapia de Vidas Passadas" (http://cavaleirodotemplo.blogspot.com/2012/02/ou-mesmo-em-vidas-passadas.html). Cristo não pode, Alan Kardec "tá liberado"?

    Trecho do artigo no site do profissional:

    "A Terapia de Vidas passadas é também conhecida como Terapia da Regressão, porque tem como pressuposto teórico que o paciente pode determinar a origem de seus conflitos e traumas da vida atual, quer sejam emocionais, somáticos, energéticos ou mentais, em acontecimentos passados nesta vida, na vida intra-uterina ou mesmo em vidas passadas.

    A Terapia da Regressão é uma técnica psicoterápica que possui uma metodologia própria embasada nos conceitos da Psicologia e vem aprofundar cada uma das teorias psicológicas existentes.Não está de modo algum associada ao ocultismo, a práticas religiosas, adivinhatórias ou parapsicológicas, EMBORA TRABALHE COM A HIPÓTESE DA REENCARNAÇÃO."

    Fonte: http://angelalins.com/psicologia/index.php/2011/07/03/vidas-passadas

    ResponderExcluir
  47. Moro nos estados Unidos e sou católica fervorosa. Sou um milagre de Deus por sofri um aneurisma cerebral e estive 30 dias hospitalizada. Tive que reaprender ate mesmo a andar e os médicos que cuidaram de mim, disseram que em verdade eu era um caso muito ESPECIAL pois não criam em minha sobrevivência
    Sou pregadora da renovação carismática e ministra extraordinária da Eucaristia e prometo estar orando por você junto com todo o nosso grupo.
    Alegre o seu coração pois você esta vivendo uma das bem-aventuranças;
    "Felizes sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo mal contra vós por causa de mim." (São Mateus 5,11)
    Coragem filha do Deus verdadeiro, o Senhor eh contigo.
    Tânia Calhau

    ResponderExcluir
  48. Cara Marisa
    Não pretendo e não posso julgar em nenhuma circusntância, mas como este é um veículo aberto, aqui minha opinião: Para uma perfeita homeostase da vida é necessário antes de mais nada o equilíbrio da vida, seja na área biológica, intelectual ou sentimental. E me perdoe, o seu comportamento como uma cientista, afinal estudou para isso é de uma pessoa sem equilíbrio, tendendo para um fanatismo, a sua atitude profundamente preconceituosa retrata bem isso. E as diferenças individuais, onde ficam? Ateísmo, homossexualidade, marxismo fazem parte do rol de diferenças individuais humanas e quem somos nós para atirarmos a primeira pedra.
    Se Nosso Pai quisesse criar pessoas iguais, teria criado dois Adões e não Adão e Eva.
    Não se esqueça de quantas mortes e aflições já ocorreram por conta de fanatismo.
    Que o Todo Poderoso te ilumine e não permita que tome descisões embasadas apenas em suas já enraigadas crenças. Boa sorte.

    ResponderExcluir
  49. Não existe nenhuma restrição em ter alguma religião e ser psicólogo, pelo contrário, a religiosidade faz parte do ser humano. O que o CFP proíbe em seu código de ética é a imposição dessa religiosidade, que é o que ela faz. Ela usa do nome da psicologia para impor a sua religião, e o pior, faz isso com seus pacientes, que se encontram em um grande estado de vulnerabilidade emocional.

    O código de ética não é contra o exercício da religião, mas sim, contra a imposição de qualquer preceito moral, religioso e de orientação sexual.

    Mas, vou desenhar o que esta acontecendo: A dona Marisa esta desrespeitando o código de ética, sabe, tipo quando alguém rouba alguma coisa e nós dizemos que ela cometeu um crime, infringiu a lei.

    O código de ética é como a lei, mas e válida apenas para um grupo de pessoas, de uma profissão específica.

    Assim como não dizemos que o ladrão esta sendo perseguido pelo sistema judiciário, é absurdo dizer que o CFP esta perseguindo a -até o momento- psicóloga Marisa Lobo. Não existe perseguição alguma por parte do Conselho, ela infringiu o Código de Ética do Psicólogo e é dever do Conselho averiguar isso. Até o momento o Conselho tem agido dentro das normas, sem nenhum tipo de perseguição.

    ResponderExcluir
  50. E a saga continua...

    http://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2012/02/noticias/a_gazeta/dia_a_dia/1125860-homossexualidade-projeto-defende-cura.html

    ResponderExcluir
  51. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  52. A Senhora é uma piada no meio sério da ciência, é como o Olavo de Carvalho para a filosofia. Ninguem leva a serio a nao ser um certo nicho; diferente de um procedimento cientifico legitimo que se torna universal.

    ResponderExcluir